quarta-feira, 17 de outubro de 2012



TRABALHO APRESENTADO PELA PROFESSORA DE EDUCAÇÃO FÍSICA  DA ESCOLA MONICA VALE NO ENCONTRO DE EDUCADORES FÍSICOS NO MARANHÃO


GINCANA CULTURAL DO CENTRO DE ENSINO MARIA MÔNICA VALE: quais as a contribuições?
Francisca das Chagas Oliveira Elias
Profª.de Educação Física da rede estadual e municipal de São Luís – MA

RESUMO
A Instituição Estadual de Ensino Médio Maria Mônica Vale  realiza há 12 anos uma Gincana Cultural. Cada edição desenvolve um tema para ser trabalhado no coletivo das equipes dos três turnos, composta de  monitor coordenador, orientados pela direção, alguns professores e alunos egressos.  A disputa desenvolve projetos que podem levar meses acontecendo dentro e fora da escola. Algumas atividades são conhecidas apenas  na hora da abertura da  culminância para ser apresentada em tempo previsto. As atividades de interesses  diversos, preveem pinturas, grafites; recuperação de carteiras da escola; busca por doadores de sangue; projetos de sustentabilidade; ação social na escola, seminários, palestras; danças, músicas, poesias e  dramatizações;  aprendem a tocar instrumentos musicais; desenvolvem projetos sociais  em  algumas comunidades de bairros. A edição 2012 teve o tema "São Luís, ontem, hoje e amanhã", homenageou o aniversário dos 400 anos com o resgate da história desde o  tempo colonial à atualidade, além de apontar expectativas para o futuro. Na gincana de 2010 uma das tarefas foi o enterro de  uma capsula do tempo com objetos significativos para serem resgatados só na edição de 2020. Com isso a previsão é de continuidade do evento, porém há ameaças de acabar por falta de envolvimento do coletivo docente entre outras dificuldades. Numa avaliação realizada por alunos do terceiro ano, a última edição deixou a desejar em organização, composição dos jurados  e elaboração das tarefas entre outros. Porém acrescentaram que o desejo é continuar, pois é gratificante a mobilização e participação; além de demonstrarem que despertam para problemas sociais e políticos nas ações comunitárias. Até as equipes ‘vencidas’ não desanimam diante da  ‘perda’ e se dispõem a novamente a sonhar com a próxima edição, desde a hora do encerramento. O conceito adotado pelos jovens não é apenas de competição recreativa que tem o objetivo de pôr à prova as habilidades físicas e/ou intelectuais dos membros.  É um espaço que os jovens encontram nas escolas para se reconhecerem além da condição de apenas aluno e superam desafios. Um exercício de cidadania. Uma iniciativa sócio-educativa e cultural que promove construção do conhecimento,  motivação, autonomia, criatividade,  transformação e desenvolve habilidades artísticas, superação de limites. Uma história de contribuições sociais e uma produção que não tem tido o impacto visível enquanto proposta pedagógica dentro da instituição, possivelmente por falta de diálogo entre os turnos, planejamento e avaliação coletiva. Uma análise posterior das atividades curriculares desenvolvidas poderia levar a um melhor diálogo entre os docentes dos três turnos e a superação de possíveis dificuldades de falta de apoio às equipes de forma mais justa e sistemática como também a falta de valorização da  produção dos alunos em termos de divulgação e participação da sociedade.
Palavras chave: gincana, cultural, alunos.    
GTT: ESCOLA

PROJETO DE OFICINA DE PRODUÇÃO TEXTUAL Profª Líliam Bittencourt


A Oficina de Produção Textual do C.E. Maria Mônica Vale ministrará aulas de redação no contraturno, para alunos do 3º ano do Ensino Médio, com dificuldades de leitura/compreensão textuais e, consequentemente, produção de textos do tipo argumentativo-dissertativo – o requerido pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).  Todos os alunos interessados em aprimorar sua escrita (com dificuldades significativas ou não),  poderão se inscrever.  O projeto disponibilizou um e-mail para atendimento mais personalizado dos participantes e melhor aproveitamento do tempo de todos os envolvidos. Além disso, a Oficina será ministrada em etapas, pretendendo  alcançar todos os inscritos    (vinte  de cada vez), no sentido de lhes facilitar o desenvolvimento de habilidades e competências para redigir esse gênero de redação -  fundamentais para se  adentrar em uma universidade e habilitar o docente/cidadão para atuar na sociedade de modo consciente e crítico; afinal, quem consegue compreender aquilo que lê e argumentar através da escrita, compreenderá o mundo a sua volta e exporá com mais facilidade suas ideias e opiniões. Dessa maneira, poderá ser capaz de modificar a sua história e participar da história do mundo de maneira significativa.


OBJETIVOS
GERAL: Identificar as dificuldades de leitura e escrita dos alunos do 3º ano do Ensino Médio para, em seguida, instrumentá-los com as técnicas de leitura e redação do tipo dissertativo-argumentativo.
ESPECÍFICOS:
- ministrar Oficina de Escrita para os alunos de 3° ano (Ensino Médio), com dificuldades ou não, interessados em redigir dentro dos padrões exigidos pelo ENEM;
- reconhecer a leitura como uma fonte essencial para produzir textos e aprender procedimentos de revisão (reescrita);
 -relacionar informações e conhecimentos disponíveis para construir argumentação consistente;
- organizar informações e registrá-las para expor ideias;
- refletir sobre a organização e a produção de textos e analisar textos bem escritos.

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
Maio  – Divulgação/ Inscrições dos interessados e seleção da 1ª etapa – 20 alunos.
Junho -  Início da 1ª turma
Agosto – 2ª turma/3ª turma
Setembro – 4ª/5ª turmas
Outubro – Revisão para todos os participantes: presencialmente e através de e-mails.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

NTE SÃO LUIS I- E O PROJETO 400 ANOS DO CE MARIA MÔNICA VALE
Em homenagem aos 400 anos da cidade de São Luís, foi realizado hoje, no CE Maria Mônica Vale, a primeira apresentação de uma série de atividades referentes ao Projeto São Luis 400 Anos: Conhecer Preservar, como ação da semana literária, que todos os anos a escola realiza. Houve apresentação de várias atividades alusivas à data, bem como: jogral, apresentãção de vídeo, jornal falado, recital de poesias, declamação de poemas de poetas maranhenses. O NTE São Luís I, esteve presente, auxiliando os alunos e professores nas filmagens e edição dos vídeos, assim como no registro das apresentações. A escola fará apresentações das ações do projeto durante toda a semana e contará com o apoio deste núcleo de tecnologias.











segunda-feira, 20 de agosto de 2012

GINCANA 2012

Escola realiza gincana em homenagem aos 400 anos de São Luís
 
Com a temática: "São Luís, ontem, hoje e amanhã", a escola pública da rede estadual, Centro de Ensino Maria Mônica Vale, localizada no Bairro Vinhais, realiza a 12ª Gincana Escolar. Nesta edição, o projeto, que teve início nesta sexta-feira com a distribuição de tarefas, tem a finalidade de resgatar a história de São Luís no tempo colonial, e expressar a cidade que a comunidade escolar quer no futuro.

Durante a gincana, os alunos têm que desenvolver diversas atividades, dentre elas pintura e grafitagem no muro da escola, ressaltando a história da cidade; recuperação de carteiras escolares; aquisição de livros de autores maranhenses; busca por doadores de sangue; coleta seletiva de lixo na comunidade em torno da escola, entre outros.

"Desde o ano 2000 que realizamos essa gincana. São 12 anos de grande participação da comunidade escolar e da sociedade. Além da parte de pesquisa científica, a iniciativa visa trabalhar a autoestima do aluno e o despertar de políticas e projetos sociais que possam ser aplicados na comunidade", explicou Silvana Silva e Silva, diretora da escola.

Para realizar as tarefas da gincana, os estudantes das três séries do ensino médio foram divididos em quatro equipes: "Blecaute", "Menta", "Furacão" e "Peraltas". Além das atividades, as equipes também irão mostrar seus talentos na dança, música e teatro.

Segundo Roberth Mendes, aluno do 3º ano do ensino médio, a gincana desperta no aluno a busca do conhecimento. "A gincana é extremamente importante porque aguça o conhecimento e ajuda a desinibir os estudantes", disse.

A iniciativa, também, objetiva a pesquisa científica em sala de aula e o despertar do estudante para a importância das políticas públicas sócio-educativas no fortalecimento do papel da escola junto à sociedade.

Para o estudante Welton de Aguiar, o mais importante é a integração dos participantes. "É gratificante. É como participar de uma vitória. Um clima de grande integração acontece entre os alunos da escola e de várias outras escolas. Todos compartilham o saber", expressou.

O professor de geografia e coordenador da gincana, Pedro Marinho, informou que a etapa final das atividades acontecerá no dia 2 de setembro, com o encontro de todas as equipes para avaliação do desempenho dos grupos. "Será um momento ímpar para a escola. Além da parte pedagógica e científica, também será a oportunidade de descobrir novos talentos nesses jovens", finalizou.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

                          É pelo terceiro ano consecutivo que implantamos a “Roda de Leitura” nesta escola, em turmas da 1ª série do ensino médio, tentando proporcionar ao aluno, ao ingressar nesta etapa escolar rumo à universidade, uma nova postura, onde a leitura literária esteja presente, trazendo deleite e conhecimento. Isto, desde já, é de suma importância.
                         Sabemos que, frente a tantas novidades tecnológicas, é uma tarefa difícil buscar no aluno  a vontade pelo conhecimento através da leitura constante e bem direcionada.
                        Difícil, mas não, impossível.
                        E nasceu a “Roda de leitura”, um projeto que visa o letramento; fazer com que o leitor não só tome a leitura como hábito, mas que consiga ir além do texto, numa atitude de agente, de quem percebe nas entrelinhas do texto várias outras leituras e se identifique com o que faz, buscando nesta prática um norte para a sua  vida.
                          Para quem tem o hábito da leitura, até o manuseio com o livro é fonte de prazer, busca, realização. Folheá-lo, então, agarrando-se a cada página com a uma tábua de salvação, é o ápice da leitura. Isto custa ser alcançado, mas é necessário ser dado o primeiro passo. Urge, portanto, que façamos sempre algo no sentido de promover a leitura dos nossos alunos. Caminharemos com este projeto no ritmo da necessidade, num trabalho de apuração de resultados e na possibilidade de avançar de acordo com o ritmo dos alunos.
                          Só assim, sem atropelar à força a vontade dos alunos,mas conquistando-os com a dinâmica das etapas do trabalho, poderemos conseguir resultados. Fazendo-os sentir a necessidade de avançar, a busca pela leitura vai se  tornando prazerosa.
                          Nosso  ponto de partida ainda é o livro, fazer com que  o aluno leia  e descubra uma lição a cada página, até fazê-lo enxergar o porquê do livro, o sentido daquela obra, a importância dela para a sociedade,  quando interagimos com a palavra escrita. É fazê-lo ver que a leitura é uma conversa que você estabelece,  e que é tão ou mais rica do que um  bate-papo pelos MSNs da vida, uma vez que a rede social on-line ,não tem como se negar, é uma realidade atraente no dia-a-dia dos nossos alunos. 
                          Dessa forma, a parceria com a biblioteca é constante e importante no processo da leitura. E, por outro lado, passamos a aumentar o trânsito dos alunos nesse espaço de saber que temos dentro da nossa própria escola!  Com este  instrumento importantíssimo, pois, de outra forma,  a alegação seria a falta de livros, basta planejar com a bibliotecária, e o nosso acervo estará sendo constantemente visitado. Afirmamos isto porque, logo,  muitos serão os alunos envolvidos neste projeto que, em consequência,  procurarão a biblioteca para  mais leituras.
                         O acesso contínuo e espontâneo ao livro é, por excelência, o sentido maior do projeto Roda de Leitura e do letramento escolar que almejamos alcançar.


domingo, 13 de maio de 2012

feliz dia da mães!!!


Retrato de Mãe
♥♥♥"Uma mulher existe que,
pela imensidão de seu amor,
tem um pouco de Deus,
e muito de anjo pela incansável solicitude dos cuidados seus;
uma mulher que, ainda jovem, tem a tranquila sabedoria de uma anciã
e, na velhice, o admirável vigor da juventude;
se de pouca instrução,
desvenda com intuição inexplicável os segredos da vida
e, se muito instruída age com a simplicidade de menina;
uma mulher que sendo pobre,
tem como recompensa a felicidade dos que ama,
e quando rica,
todos os seus tesouros daria para não sofrer no coração a dor da ingratidão;
sendo frágil, consegue reagir com a bravura de um leão;
uma mulher que, enquanto viva, não lhe damos o devido valor,
porque ao seu lado todas as dores são esquecidas;
entretanto quando morta,
daríamos tudo o que somos e tudo o que temos
para vê-la de novo ao menos por um só momento,
receber dela um só abraço,
e ouvir de seus lábios uma só palavra.
Dessa mulher não me exijas o nome,
se não quiseres que turve de lágrimas esta lembrança, porque...
já a vi passar em meu caminho.
Quando teus filhos já estiverem crescidos,
lê para eles estas palavras.
E, enquanto eles cobrem a tua face de beijos,
conta-lhes que um humilde peregrino,
em paga da hospedagem recebida,
deixou aqui para todos o esboço do retrato de sua própria mãe."

Tradução do original de D. Ramóm Angel Jara Bispo e Orador Chileno

quinta-feira, 8 de março de 2012





Oração da Mulher Cristã


Senhor, dá-me de Raquel a arte de fazer-me amar.

Dá-me de Joquebede o espírito de sacrifício e renúncia.

Dá-me de Débora, a solidariedade e o estímulo.

De, Rute dá-me a dedicação e a bondade.

De Ana, dá-me a fé a fibra para cumprir o voto.

Dá-me a astúcia de Mical, para usá-la no bem, não para o mal.

Como Abigail, faz-me mensageira da paz.

Como Ester, que eu seja desinteressada e altruísta.

Como Maria faz-me pura e humilde, e como Isabel,
capaz de regozijar-me com o bem alheio.

De Marta, dá-me a disposição para o trabalho material
e de Maria, o anseio espiritual.

Como Dorcas, a costureira que eu seja útil ao necessitado.

E como Lídia, a mulher hospedeiram que eu abra a porta ao que
chegar cansado.

Como a mulher samaritana, que eu corra a falar da salvação.

Senhor, tira de mim se houver :
A vontade de olhar para trás da mulher de Ló,
A preferência por um filho de Rebeca.
O desejo adúltero da mulher de Potifar.
A traição de Dalila.
A trama macabra de Herodias.
De Ti , Senhor, suplico
a paz , a bênção e o perdão.